terça-feira, 8 de maio de 2012

Você sabe o que é um Ostensório?

por Vinícius Rangel


Também chamado de Custódia, o Ostensório é uma peça de aço geralmente dourada. Ali se deposita o Santíssimo Sacramento, Jesus vivo, consagrado na Hóstia. É utilizado para exposição de Jesus no altar e durante as procissões. 

A veneração e respeito dispensado durante a adoração, não são ao objeto em sí, mas ao próprio Deus que ali está presente. Ao se passar diante do Santíssimo Sacramento, deve-se fazer uma vênia, ou seja, inclinar a cabeça em sinal de respeito.


Ostensório com o Santíssimo Sacramento. Foto: cancaonova.com

Segundo relatos da história, durante uma pregação onde Santo Antônio falava sobre a Eucaristia, um homem disse que apenas acreditaria na presença de Jesus na Hóstia Consagrada, quando o jumento, que a ele pertencia, se prostrasse diante do Ostensório. Santo Antônio aceitou o desafio.

Conforme eles haviam combinado, o homem deixou o jumento três dias sem alimento. Ao terceiro dia, no local acertado, o Frei estava com o Ostensório e o homem com seu animal. Mesmo com muita fome, o jumento preferiu ajoelhar-se diante do Santíssimo, como lhe ordenara Santo Antônio, deixando de lado a pastagem que lhe era oferecida por seu dono.


Fonte:
Livro:Catecismo da Igreja Católica
Site: www.cancaonova.com

13 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Como não acreditar no Senhor vivo na Santa Eucaristia! É algo não entendemos e nem vimos com os olhos da carne,é o sobre natural e divino!!!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. A "verdade" que esta igreja prega,NAO consta na santa Palavra contida na Bíblia, segundo o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. O véu foi rasgado, e todos os FILHOS de Deus podem entrar em Sua presença sem objeto ou homem nenhum como intermediário.

    ResponderExcluir
  5. Jesus Cristo disse para não adorar imagem alguma,porque a igreja católica usa tantas imagens, eu gosto da católica só não gosto das imagens

    ResponderExcluir
  6. Temos aqui 4 ocasiões em que Deus mandou fazer imagens:

    1) Éxodo 25, 16-22

    “Porás na arca o testemunho que eu te der. Farás também uma tampa de ouro puro, cujo comprimento será de dois côvados e meio, e a largura de um côvado e meio. Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. Colocarás a tampa sobre a arca e porás dentro da arca o testemunho que eu te der. Ali virei ter contigo, e é de cima da tampa, do meio dos querubins que estão sobre a arca da aliança, que te darei todas as minhas ordens para os israelitas.”

    2) Números 21, 8-9

    “E o Senhor disse a Moisés: ‘Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela, será salvo.” Moisés fez, pois, uma serpente de bronze, e fixou-a sobre um poste. Se alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, conservava a vida.

    3) I Reis 6, 23-27

    “Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura. Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário. Tinham as asas estendidas, de sorte que uma asa do primeiro tocava uma das paredes e uma asa do segundo tocava a outra parede, enquanto as outras duas asas se encontravam no meio do santuário.”

    4) I Reis 7, 28-30

    “Eis como eram feitas essas bases: eram formadas de painéis e enquadradas de molduras. Nos painéis enquadrados de molduras, havia leões, bois e querubins, assim como nas travessas igualmente. Por cima e por baixo dos leões e dos bois pendiam grinaldas em forma de festões. Cada base tinha quatro rodas de bronze, com seus eixos de bronze, e nos quatro cantos havia suportes fundidos que sustinham a bacia, os quais estavam por baixo das grinaldas.”

    Então… e a famosa passagem de Êxodo 20, 4-5?

    Dizem que aquilo que é dito fora de contexto vira contexto. Então, vamos analisar o contexto dessa passagem. Em primeiro lugar notemos que esta suposta proibição está no capítulo 20 de Êxodo; no entanto, 5 capítulos depois vemos Deus mandando construir querubins de ouro. Se deram conta? O mesmo Deus que a princípio supostamente proibiu construir imagens do que há “acima no céu”, agora manda fazer estátuas de querubins, criaturas do céu. Isso se deve porque quando Deus proíbe as imagens, o faz com um fim: Ele conhecia o povo ao qual se dirigia e sabia que poderiam construir uma imagem e dizer “esta imagem é o meu deus”. De fato, isso ocorreu com Israel; construíram um bezerro de ouro para adorá-lo e disseram ‘Este é o Deus de Israel, aquele que nos fez sair do Egito.” (êxodo 35,4).

    A diferença é que as imagens que Deus mandou construir, assim como as imagens que os católicos usamos nas nossas Igrejas, servem como um sinal que nos apontam a Deus, nunca são consideradas deuses. Até a imagem mais linda de nosso Senhor sempre será apenas uma representação e nunca o próprio Deus.

    ResponderExcluir